Arquivo da categoria: Tolices

Gelado de Cerelac

Eu nunca me lembro que tenho um blog.

Tenho 2 desafios para responder, mas também não vai ser neste momento que o vou fazer.

Agora só cá venho por causa do Gelado de Cerelac.

Gosto de uma página no facebook de uma gelataria no Parque das Nações (onde só fui uma vez) que por vezes tem gelados… Originais. (Tive um enorme azar e quando lá fui não havia nada de diferente…)

Ora no outro dia (já não me lembro ao certo quando) vi que tinham gelado de Cerelac. Gelado de Cerelac, leram bem! Ora para uma fã incondicional desta maravilhosa papa, gelado de Cerelac deve ser de ir ao céu e voltar, sem sair do lugar (ouvi esta ontem na novela).

Mas uma vez que as minhas finanças andam mesmo muito por baixo e não posso dar-me ao luxo de me deslocar lá e ir comprar o bem dito gelado, pensei: Vou ver se descubro como fazer em casa! Pois bem, meu dito meu feito! Pego no tablet (que coitadinho, está mais lento que eu sei lá o quê) e pesquiso: Gelado de Cerelac.

Encontrei uma receita de bolos de Cerelac, uma de um gelado mas que leva chocolate e eu não sou minimamente fã de misturar chocolate com coisas que adoro (ou que não adoro. Eu não suporto bolachas com chocolate, excepto se o chocolate estiver incluído na massa da bolacha. Agora Aquelas redondas com recheio de chocolate ou as famosas bolachas do Monstro das Bolachas, brancas, com pepitas de chocolate, nem pensar!) mas de gelado de Cerelac puro e duro (entenda-se, devido à congelação), não encontrei. Talvez também devido ao facto de, quando encontrei o que vou dizer a seguir, ter ficado tão parva que decidi escrever um post sobre o raio do gelado de Cerelac.

Ora sabem o que é que eu encontrei? Um blog. Não um qualquer. Um chamado: Gelado de Cerelac. O blog não tem rigorosamente nada escrito, tem dois posts a dizer: olá. Mas o que me surpreendeu foi que alguém, provavelmente tão louco por Cerelac como eu (ou pior, uma vez que não como disso à imenso tempo, devido ao enorme conteúdo calórico de tal alimento e se já pareço uma bola assim, com Cerelac nem quero imaginar) decidiu criar um blog com esse nome.

E assim se termina o meu post. Sem informação nenhuma nova, apenas falando de algo absolutamente ignorável, mas que eu, como já é costume, tive de vir comentar.

Turbo

Hoje fui ao cinema ver o Turbo.

Sim, sou fã de filmes de animação (e de desenhos animados) apesar de ter 25 anos e não ter filhos. Se calhar não cresci… Mas não me importo nada com isso, são divertidos e isso é que interessa.

O filme está giro, mais virado para rapazes porque é de corridas, mas tem uma história interessante e a mensagem que transmite também o é. Não gostei de uma parte em que estupidamente todo o cinema se riu, porque o pobre do corvo, se o filme fosse real, teria morrido. E se formos ver bem, a nível de defesa dos direitos dos animais deixa um bocado a desejar. Mas pensando que é um filme de animação e que os pais não vão deixar as crianças pegar em caracóis, “quitá-los” e fazer corridas com eles… Aaaa… Pois, acho melhor ficar calada. Com o tipo de “paizinhos” que estavam lá por perto, pobres caracóis!

Como é óbvio, a sala estava cheia de crianças com os pais. Provavelmente eu e o Daniel éramos os únicos dois adultos sem crianças dentro da sala. E além de um chão imundo de pipocas (vá, as pipocas caem por acidente) a ver miúdos com os pés por cima do banco da frente (repito, com os paizinhos ao lado) e de estar a levar, constantemente, pontapés na cadeira, passando por montes de criancinhas a falar no meio do filme, passou-se de tudo. Até telemóveis tocaram e se viram flashes de máquinas fotográficas porque “Ai é tão giro ter uma fotozinha do menino no cinema para mandar à avó!”…

Isto vai de mal a pior. Se as crianças não se sabem comportar no cinema, das duas uma: ou não vão ou no mínimo os “paizinhos” lhes vão chateando a cabeça para estarem quietos e calados. É um cinema! Há gente a querer ver o filme… E lá por ser um filme para crianças, de certeza que se fosse alguém a dar pontapés na cadeira deles, eles também ficariam incomodados.

Portanto, conclusão a que chego… Filmes de animação num Domingo à tarde? Não, obrigada.